Desculpem-nos o Transtorno


Estaremos trabalhando para melhor servi-lo(a), pois está marcada para amanhã a cirurgia de hipospadia do Davi. Esta será, realmente, a primeira cirurgia, visto que na época da cirurgia das hérnias inguinais, o Dr. Martinelli apenas cortou um "freio" externo e em baixo do piu-piu.

Estou esperando por esse momento há, pelo menos, 1 ano e 6 meses, e a sensação é de estar prestes a se casar, ou a estrear alguma coisa, ou a parir. Se bem que, no meu caso neurótico, estou mais para o condenado, no corredor da morte, esperando a derradeira hora (pausa mega dramática!). E, interessante, estou mais apreensiva que da primeira cirurgia, quando Davi estava com  apenas 7 meses (como se idade fizesse alguma diferença...). Sinto que estou mais agitada,  com algumas palpitações que até então não tive, querendo e não querendo que o momento chegue, mas que acabe logo.  Gente, levar filho para centro cirúrgico, por menor que seja o motivo, não é muito fácil, não. Ah, sim, já chorei um bocado até agora.

De acordo com o Dr. Martinelli, desta vez não vai ter molezinha, não. Parece que vai demorar, e bastante. É bem provável também que haja uma outra cirurgia, dessa vez reparadora, estética, a fim de suprimir o excesso de pele (quem tem filho com hipospadia sabe do que eu estou falando). Me parece também que não haverá necessidade de ficarmos internados, ou seja, mesmo que a cirurgia termine lá pelas tantas, acho que poderemos voltar para casa logo após a alta médica.

Como já disse aqui, estarei no centro cirúrgico, pois o Dr. Martinelli permite que as mães que quiserem, acompanhem sua criança. Acho bem provável que eu não vá ficar olhando o procedimento em si, mas sim, do lado do Davi, tal como fazem os pais que acompanham suas esposas no nascimento de seus filhos. Neste caso, porém, é a criança que estará na maca, não eu, infelizmente.
 
Estarei fora por uns 20 dias ou mais, sei lá, porque vou emendar a licença com as férias (insira aqui uma risada histérica - férias, até parece), porque o pós operatório, pelo que eu já ouvi falar e já li, é tão ou mais complicado que a própria cirurgia.

Eu sei que tudo dará certo e, utilizando as palavras proféticas daquele ex-presidente, digo: EU VOLTAREI, a menos que algum bueiro assassino me ataque, porque eu não sei se você sabe, mas aqui é a filial de Bagdá!

Pode ser que a cirurgia seja cancelada, caso Davi apresente alguma restrição respiratória, por exemplo, pois esteve com bronquite, amigdalite e um pouco de pneumonia umas 2 semanas passadas. Mas estou torcendo mesmo para que o momento seja esse de agora.

No mais, tchau, adeus, goodbye, arrivederci, adiós, sayonara, aufwidesen e até mais ver.

Para o alto e AVANTE!!!