A Maior Descoberta de Todos os Tempos:

O falo! Bom, falo é uma expressão muito bonita, educada e intelectual para o que conhecemos como pinto, piu-piu, pênis, peru, documento, enfim, aquilo-que-eles-têm-entre-as-pernas.  E então que de um tempo - já faz um bom tempo - para cá, o tal do Davi descobriu que também tem um e fica dividindo sua descoberta a toda hora ao exibir seu "documento" como se não houvesse amanhã.  

Não há uma razão específica para tal mas quando se menos espera lá vem ele dizendo: "ó o piú, ó, MEU piú".  E aí, eu pergunto: "de quem é o piú". Ele responde: "Piú é da mamãe!".  Bom, geralmente o "piú" é meu, mas no início era do pai e de uns tempos para cá agora é mais meu do que do pai, não se sabe exatamente a razão. 

E lançando um olhar de extrema desconfiança para o pai dele, me perguntei outro dia de onde que ele tirou isso, onde que ele aprendeu, já que não fui eu quem o mostrou o caminho da maior descoberta de todos os tempos para sempre.  Sim, porque é incrível como o órgão genital é o centro do universo masculino, já desde cedo!  É meio óbvio falar isso porque todo mundo já está cansado de saber, mas  não deixa de ser surpreendente quando você é testemunha ocular da história dessa descoberta na vida do filho.  A pergunta que a mente feminina faz é: por que, Senhor? 

Sim, porque, pelo que me parece, a descoberta do órgão genital por parte das meninas se dá um pouco mais adiante, o que talvez seja um dos poucos aspectos inversos da maturidade entre meninos e meninas, pois sabemos que os meninos demoram mais para amadurecer.  No caso do órgão sexual masculino, acredito que seja por ele ser externo, mais... hum... acessível do que o órgão sexual feminino, que vive escondido na escuridão.  

Já ouvi uma asneira que dizia que o menino, ao descobrir e estimular seu órgão genital já está sentindo prazer assim como um homem adulto. E aí, não é difícil encontrar mães que punem seus filhos porque acham que eles estão fazendo alguma coisa feia, indecorosa, erótica e até pecaminosa.  Pelo amor de Deus, né!  Além de ser de uma ignorância elevada ao último, acho que esse tipo de comportamento denota uma mente até doentia e não me surpreenderia se um pedófilo usasse essa "desculpa" para justificar seus atos.  Sim, porque o que não faltam são mentes inundadas por maldades e malícias e, apesar do movimento de erotização da nossa sociedade se dar principalmente em direção às meninas, os meninos que estão em fase de descoberta do órgão genital, e não da sua sexualidade, também acabam sendo vítimas desse tipo de mentalidade.  

Por outro lado, não é raro encontrar alguns pais que acham que esse comportamento do seu filho demonstra o potencial de "pegador" que ele terá no futuro e, ao invés de encarar esse fato como o mais normal do mundo, até o ajuda na estimulação.  Pois é, dá náusea, mas tem descompensado para tudo.  É como se diz: a maldade está nos olhos de quem vê, e achar que uma criança que ainda nem completou a primeira infância está se estimulando sexualmente é o extremo da maldade e da perversidade.

Portanto, não consigo ver razões para grandes alarmes e escândalos, pelo menos  enquanto essa descoberta esteja se dando por  causa da própria natureza.  Encaro essa nova fase do Davi numa boa e me divirto quando o vejo lá, na maior cara de pau, de pernas abertas, mexendo com seu "documento" ou correndo para mostrar seu "piú".  E o mais interessante, pelo menos para mim é como esse menino nem  se dá conta do tanto que já passou e o pouco que ainda irá passar para ter seu piu-piu consertado!  

E como eu já falei em outras ocasiões, fico mais feliz ainda em perceber que as fases normais do desenvolvimento do Davi estão se dando no tempo certo, em que as maiores correções cirúrgicas já foram feitas e agora iremos partir para a próxima etapa que, espero, nos leve ao fim desse ciclo. Creio que na próxima semana iremos fazer a - talvez - última cirurgia, de retirada do excesso de pele e da curvatura - o tal chordee.

Eu ainda não tive interesse em buscar fontes psicológicas para essa fase, simplesmente porque acho que ela é parte do processo de amadurecimento da criança.  Mas que, nesse momento, é divertido, isso é. E já fico imaginando Davi brincando com seu "piú" já consertado - sim porque, na verdade, não passa de uma brincadeira essa descoberta.  Aí, não vai ter para ninguém!