Fora do Padrão


Ao adentrar o maravilhoso mundo da maternidade, percebi que existe um certo esforço em se alcançar determinados resultados em determinados períodos. Talvez uma velada competição, ou uma espécie de corrida maluca para ver quem vai levantar o troféu de super bebê.

Não sei se é intencional, pois é natural querer filhos saudáveis, que se desenvolvam de forma notável e crescente.  Porém, tenho aprendido a duras penas que, por mais que haja padrões, cada criança tem seu tempo, sua hora, sua maneira própria de desenvolver suas habilidades. Entre alguns desses padrões, observei um que chamo de "bebê michelin", por exemplo.

Davi não é cheio de dobrinhas, fofinho, gorducho. Davi é comprido e magro. Por mais que ele coma - e ele come muito e bem - ele não vai ser o típico "bebê michelin" - talvez o protótipo de bebê saudável e perfeito, o que nem sempre corresponde a verdade.  Não foi lá muito fácil lidar com essa realidade, porém, tive que considerar que: a) ele já nasceu miúdo; b) ele ficou internado e foi operado; c) ele é cardiopata e; d) ele É ASSIM.

E aí, a gente também começa a ouvir relatos e a ler livros e revistas que contam sobre o desenvolvimento psicomotor das crianças.  "Aos X meses, a criança DEVERÁ estar fazendo isso". "Aos Y meses, a criança DEVERÁ estar fazendo aquilo". Claro, esses parâmetros não são totalmente fixos, porém, quando a criança não faz nem uma coisa nem outra no mês X ou no mês Y, é comum entrar numa ciranda doida e começar a ver tudo com um rabo de olho, tentando achar alguma coisa que esteja fora do padrão, digamos assim. E eu sei que essa neura é muito comum porque li relatos de outras mães que, assim como eu, estavam à beira de um colapso porque seus filhos estavam... hum.... fora do padrão!

Por exemplo, o Davi começou a sentar por volta dos 7 meses, quando o padrão é começar a sentar a partir dos 4.  Há relatos, porém de crianças que começam a sentar com 3 meses!  E aí, ó, começa o olhar de rabo de olho sobre o menino.... Hoje, aos 9 meses e meio, Davi já senta sozinho, mas ainda não engatinha, (não plenamente, ele vai serpenteando de um lado para o outro), porém, o padrão para começar a engatinhar é a partir dos 6 ou 7 meses. Há relatos, porém, de crianças que começam a engatinhar com 5 meses! E aí, ó, começa o olhar de rabo de olho sobre o menino....O Davi ainda não bate palminhas no "parabéns prá você".  Ele bate palmas quando está distraído, e estanca quando a gente começa a cantar "parabéns prá você".  Nesse caso, não sei se é o padrão, porém, há relatos de crianças que começam a bater palminhas no "parabéns prá você" aos 6 meses! E aí, ó, começa o olhar de rabo de olho sobre o menino.... Ufa! É ou não é uma ciranda?

E aí, dia desses,  resolvi começar a desopilar e a aceitar que ele faça as coisas no tempo dele, não no meu, nem no dos livros ou revistas, ou no que está dentro dos padrões. Claro, nunca é demais estimular as crianças, porém, eu definitivamente tenho aprendido que o meu filho não é igual ao filho de ninguém, e não seria igual nem ao irmão, caso tivesse. Também não deixo de reconhecer que padrões e parâmetros são importantes, afinal, servem como uma espécie de guia para observarmos o crescimento e desenvolvimento da criança. Porém,  repito, tenho aprendido a duras penas a não me ater a eles de forma tão sistemática e a achar que, se há alguma coisa um pouco fora do padrão é sinal de que há algum problema. Ou seja, não vou ficar procurando pelo em ovo.
Pode ser que um dia eu vá queimar minha língua e queira que meu filho viva erguendo troféus, vá saber.  Mãe é um ser esquisito e vive competindo, mesmo que veladamente.  Mas, não é prá mim gambá, não, mas o Davi, com 9 meses e meio, já está com quase 7 dentinhos...(rsrsrsrs).