Davi, 3 Anos!



Hoje, dia 22/12/12, Davi completa 3 anos de vida fechando, assim, achamada Primeira Infância.  No próximo ano estará ingressando no Maternal II.  Já sabe contar de 1 a 10, conhece algumas letras e várias cores. É muito falador e cara de pau, tem um gênio muito forte, porém, é muito carinhoso com os pais e desde que aprendeu a beijar, usa esse artifício para demonstrar carinho e também amenizar suas traquinices.  É também muito curioso e gosta de querer fazer tudo sozinho.  Nos últimos tempos adora a série LazyTown (para queimar minha língua) e, para meu total desespero, está aprendendo a dar cambalhotas.

Nesses últimos 2 anos e meio Davi já passou por 4 cirurgias para reparar sua hipospadia, todas, claro, com anestesia geral, além das 10 dilatações do canal da uretra. Seu jato de xixi continua fino, o que indica que poderá haver mais dilatações.  Porém, a cada saída do hospital parece mais forte.

Em todo esse momento eu não me preocupei em fazer o Davi uma máquina de inteligência.  Não comprei muitos brinquedos didático-pedagógicos, quebra-cabeças, joguinhos eletrônicos, nem o matriculei em aulas de língua estrangeira para menores de 2 anos. 

Eu o deixei viver a sua infância.  Plenamente.  Sem cobranças de resultados fantásticos, de desenvolvimento de fala ou de motricidade, a despeito das minhas neuras, pois ainda implico com a sua altura.

A única coisa que ainda quero fazer é colocá-lo em alguma atividade física, seja uma natação ou judô, mas ainda encontro dificuldades em transporte.  A creche ajuda muito, pois oferece aulas de educação física e capoeira (o que eu não sou muito chegada).

No momento, o que eu quero mesmo é que ele seja feliz, se sinta feliz e viva seu momento, da primeira à última infância, sem forçá-lo a ser um super-gênio da matemática ou da filosofia.  Se for, vai me dar trabalho, porque os gênios costumam dar muito trabalho.

Para mim, a base de toda a estrutura que o levará a ser um grande homem é o amor e o afeto que ele recebe em abundância.  O que vier depois é lucro.

Não sei se cumpri meu dever como mãe até aqui, mas acho que não fiz muito feio, não, porque se existe uma certeza que eu tenho é que Davi é amado, muito amado.