Bolo de Rolo e muita Fubanice

Se alguém disser que bolo de rolo é apenas um rocambole recheado com doce de goiaba (ou outra fruta, vá lá), ou nunca comeu um bolo de rolo ou foi deverasmente enganado.



Nunca fui à Bahia, mas já provei o acarajé aqui no RJ, porém, duvido que os que são feitos nos tabuleiros daquelas baianas lindamente vestidas possam ser comparados a quaisquer outros.  Assim também, nunca experimentei o pato no tucupi (na verdade, eu sequer comi pato na minha vidinha), mas acredito que o prato só tem sentido e gosto se feito numa cozinha paraense. 



Nós, cariocas, temos várias churrascarias e até o típico churrasquinho de gato, mas nenhuma dessas variações poderá chegar ao patamar de um churrasco dos pampas gaúchos ou argentinos, porque, como coloquei, o que temos são apenas variações, nada mais.

O bolo de rolo não é apenas um quitute típico pernambucano, é um patrimônio nacional, assim como a feijoada, o acarajé e o pato no tucupi.  Não conheço muito bem a cozinha pernambucana, mas alguns pratos típicos do Nordeste já foram experimentados, como o escondidinho de carne seca, carne de sol, queijo coalho com melado, arroz de carreteiro, pois sempre que posso visito a Feira de São Cristóvão.  Sei que se eu for no Nordeste, o sabor desses pratos será totalmente diferente, pois que feitos pelas mãos de quem é da "terrinha".  Uma coisa, porém: eu nunca comi bolo de rolo que não fosse o autêntico pernambucano, vice?  Portanto, eu sei muitíssimo bem que bolo de rolo não é um-rocambole-de-doce-de-goiaba!



Então imaginem meu grau de metideza, já que eu fui agraciada com o melhor do que se pode existir em termos de bolo de rolo, que veio diretamente das mãos de "Papa" Berto, que é o Comandante-em-Chefe do Besta Fubana.  Clique lá e divirta-se.  Mas não se engane: apesar das fubanices a tal "gazeta da bixiga lixa" fala sério, muito sério.

Obrigada pelo carinho, Papa Berto, o Único!

E agora me dêem licença senão não sobra nada!



Ah, sim, morram de inveja.