2 cm e uma sereia


Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Como já falei algumas vezes, a consulta à pediatra é, para mim, um momento de tensão, sempre.  Apesar de a periodicidade ser de 6 meses, não adianta, eu fico sempre apreensiva e acredito que esse sentimento seja resquícios dos 2 primeiros anos de vida do Davi, que foram bem cheios de surpresas.

Como já falei algumas vezes, Drª Andréia é detalhista e minuciosa, vira a criança do avesso.  Médica Neonatal, já se deparou com os mais diversos tipos de problemas congênitos, o que resultou num olhar muitíssimo apurado em detectar alguma coisa que possa estar fora da normalidade.  Portanto, quando ela diz "está tudo bem", existem grandes chances de que tudo esteja realmente bem.  Porém, em se tratando de alguém "meio" neurótica como eu...

Como já falei algumas vezes, há algum bom tempo tenho implicado com a estatura do Davi, a ponto de andar com fita métrica ou trena para medir o moleque. Seu peso já não é um foco de estresse para mim, pois que puxou ao pai nesse sentido e, graças a Deus, existem poucas chances de desenvolver obesidade, ou seja, é magrelo, mas com muita saúde.  A altura, para sua idade, porém...

Pois então que esta semana fomos à consulta de rotina e minha cisma apenas se confirmou: Davi está 2 centímetros abaixo da altura que deveria estar para a sua idade.  Da última consulta para cá, apesar, claro, de ter se desenvolvido, seu crescimento deu uma desacelerada, mesmo que ainda esteja dentro da curva da normalidade.  O problema é que eu, quase nunca, estou dentro da normalidade...

2 centímetros...2 centímetros...

Já caí na Internet em busca de informações que indicam que em alguns momentos o ritmo do crescimento da criança aumenta e diminui até ela alcançar sua estatura definitiva.  Na verdade, eu nem precisava pesquisar nada, eu já sabia disso, mas é aquele negócio, a teoria, na prática, é bem diferente.  Eu sei que 2 centímetros não é nenhuma sangria desatada, mas houve uma Miss Brasil que perdeu o título mundial por medir 2 polegadas... a mais...

No mais, a única orientação dada foi que busquemos um(a) ortopedista pediátrico(a).  Já há algum bom tempo que Drª Andréia vem comentando sobre os pés chatos do Davi, então, lá vamos nós verificar se há alguma necessidade de tratamento ortopédico para ele.



No último sábado foi realizada a festa do Dia das Mães na escola.  Considero que esta tenha sido, efetivamente, a primeira festa para comemorar - a da na escola, claro -, visto que no ano passado foi um horror, Davi chorou o tempo todo, dormiu no meu colo e não quis fazer nada, a não ser ficar pendurado no meu pescoço.  Ele e outros de seus amiguinhos, pois que parece que combinaram de se comportar assim.  A professora de então, meio sem jeito, tentou nos convencer de que durante os ensaios tudo havia saído bonito, porém, na hora da apresentação... nada.

Este ano, todos cantaram e dançaram direitinho a música Exagerado, do Barão Vermelho, e que combinou muito bem com a coreografia ensaiada.

O tema da festa foi Mamãe é uma Sereia e para a ocasião foi confeccionada uma cauda para que as mães a utilizassem para tirar fotos com seus pequenos, além de um painel com as fotos de várias mães.




Na hora em que a turminha do Davi entrou para a a apresentação, pude sentir a apreensão de todas as mães daquele grupo para ver se eles, de fato e enfim, iriam fazer bonito.  E fizeram mesmo.  Desta vez, valeu.

Em se tratando de um acontecimento inédito, eu optei por fotografar ao invés de chorar (não dava para fazer as duas coisas ao mesmo tempo...).




Foi mais um dia especial que Davi me proporcionou.  Como não ser feliz?