Um amor iluminado

O amor tem feito coisas
Que até mesmo Deus duvida
Já curou desenganados
Já fechou tanta ferida

O amor junta os pedaços
Quando um coração se quebra
Mesmo que seja de aço
Mesmo que seja de pedra

Fica tão cicatrizado
Que ninguém diz que é colado
Foi assim que fez em mim
Foi assim que fez em nós
Esse amor iluminado
(Iluminados, Ivan Lins - 1987)

Aproveitando a Blogagem Coletiva da Elaine Gaspareto, hoje vou falar de uma pessoa muito especial em minha vida.  Ele quase nunca aparece por aqui, e quando isso acontece, é em citações ou me ajudando em alguma craftice.  Porém, sem ele a minha vida não teria tomado o sentido que tomou com a chegada do Davi.  Estou falando do meu marido, Paulo Sergio.

Em quase 9 anos de convivência, já passamos por situações que, nos dias de hoje, levariam muitos casais à separação.  Nada de traições, mas algumas dificuldades que a vida nos presenteia pelo caminho podem ser o suficiente para que muitos relacionamentos cheguem ao fim. 

O que sei é que, sem muito esperar, esse homem adentrou a minha vida e com ele eu tive confiança suficiente para querer formar uma família.  E esse é o bem mais precioso que tenho.

Éramos duas pessoas meio que perdidas no mundo, sem um rumo certo, sem um porto seguro, um norte, uma motivação maior que nos fizesse insistirem continuar.  Havíamos passado por relacionamentos que, por vários motivos, não tinham dado certo.  Até que o amor colou os pedaços dos nossos corações, e colou um coração no outro.  Hoje, somos um.  Sim, isso é clichê, mas o amor não é assim, cheio de clichês?

Paulo é uma pessoa extremamente generosa, até demais.  É do bem, da paz, está sempre disposto a ajudar e é aquele tipo que faz amizade com todo mundo, até com os cachorros da rua.  É meio cabeçudo em alguns aspectos, mas seu caráter é de um homem bom.  Enquanto eu vejo sempre o lado realista - e muitas vezes pessimista - ele sempre vê o lado bom, em que se a situação está ruim, vai melhorar.  Em todos, absolutamente todos os momentos de dificuldades, Paulo esteve ao meu lado, sempre me apoiando, me ajudando, me incentivando a continuar. 

Aprendemos que amar não é um sentimento e sim, uma escolha e escolhemos um ao outro para dividir tudo o que temos, do  dinheiro até o filho.  Não conseguimos, sequer, pensar em vivermos longe um do outro.  Somos diferentes - ainda bem - porém, tão ligados que qualquer distância é suficiente para nos doer a alma.  

Paulo ainda me traz flores, sem nenhuma data importante a não ser o dia que Deus nos permite viver.  Ainda namoramos, ainda trocamos mensagens de "eu te amo", ainda fazemos surpresas um para o outro.  Cada conquista é festejada, de ambas as partes, porque o que faz um feliz, faz o outro também, e quando conquistamos juntos, aí é que a felicidade é completa.

Hoje posso dizer que minha vida ficaria bem complicada sem a presença dele.  Como já falei, não conseguimos viver muito tempo longe um do outro, temos um filho para educar a criar, uma vida para viver. Parafraseando a letra acima, o amor fez e ainda faz coisas que nem Deus duvida, até porque Ele é a fonte.



Paulo, meu amor, meu amigo, meu cúmplice, meu companheiro, pai do meu filho.  Apenas te amo.  Nosso amor é, sim, iluminado. Obrigada por ser parte da minha vida.






Divitae