O nó no cadarço


 
Por indicação do Dr. Martinelli, levamos Davi esta semana à consulta com a endocrinologista.  Na verdade, eu não havia entendido direito qual seria a relação entre a hipospadia x estreitamento do canal da uretra x endocrilonogia/hormônios.  Na verdade, no caso específico do Davi, e de acordo com a médica, não há exatamente nenhuma relação entre uma coisa e outra.
 
Meu "medo" era que, caso fosse indicado o uso de hormônios, Davi ficasse com o piu-piu muito "calibroso", ou seja, mais grosso do que deveria.  O problema do xixi estreito é que na ponta do piu-piu começa a se formar uma película que dificulta a saída normal do líquido, o que faz com que ele faça muita força ao urinar - e que me dá uma angústia danada.    A médica, então, informou que, na medida em que ele crescer, tudo vai crescer (!) e o canal da uretra, crescendo, irá aumentar seu espaço e impedirá que a tal película se forme e aí ele irá urinar normalmente. Assim também tenho aguardado esse dia até agora.
 
Ainda assim, ela indicou exame de sangue para testosterona e hormônios de tireóide, além de radiografia de mãos e punhos para verificar a idade óssea.  Davi está na altura certíssima, exatamente na altura que deve ter na idade em que está: 1,11 mt. 
 
Mas quem disse que eu me conformo com isso?
 
 
 
Momento dramalhão-de-mãe
 
E outro dia, chegando em casa, Davi me aborda dizendo que já sabe dar nó no cadarço do tênis.  Pegou o tênis e fez o nó dos cadarços bem certinho.   Oi?  Como assim, ele consegue fazer algo com esse nível de complexidade sem a participação especial de seus pais?  De sua mãe?  Sim, porque aprender a dar nó nos cadarços é um aprendizado para toda a vida, assim como aprender a andar de bicicletas.  E nesse momento tão histórico, cadê seus pais?  Cadê sua mãe?  Sua pobre mãe?
 
Perguntei quem o havia ensinado, ele disse que foi uma "tia" da escola...  hum...e aí, quando ele estiver sendo entrevistado como o melhor-qualquer-coisa-do-momento-no-mundo e perguntarem quem o ensinou a dar nó nos cadarços, ele não vai dizer que fui eu???
 
O preço de ser mãe moderna está ficando muito alto, não está?
 
Humf!
 
 
Vem muita craftice por aí, mas, como já é de praxe, falta tempo na minha agenda.