A Formatura

Formatura do Pré II. Um rito de passagem que, por mais simples que seja, deve ser marcado e festejado.

Eu não tive nada disso, na verdade, eu entrei na escola já direto para a antiga 1ª Série do antigo Primário.  Tinha 7 anos.  Antes disso, minha mãe, a muito custo, pagou uma explicadora que me iniciou nas primeiras letras.  Nas brumas da minha quase apagada memória de infância, meu primeiro livro didático tinha um menino que se chamava "Beto" e uma menina que não me lembro o nome.  Depois, veio O Sonho de Talita e depois os outros que já não marcaram tanto assim.


Estudei a vida inteira em escola pública, numa época em que ela era tão boa quanto uma escola particular. As professoras, no geral, eram da geração formada no tradicional e cobiçado Instituto de Educação.  Com a grande influência da Ditadura, havia uma forte disciplina nos comportamentos, tanto do professor quanto dos alunos, desde o uniforme até às matérias, como, por exemplo, "Educação, Moral e Cívica" e os "Estudos Sociais".



A escola, no geral, era boa. Meu "Primário (1ª a 4ª séries)" se deu na Escola Municipal Presidente José Linhares, mesma escola onde minha mãe trabalhou como merendeira por mais de 20 anos.  Esta escola fica na zona sul do Rio de Janeiro, ao pé do Morro do Cantagalo e, por esta razão, recebia muitos alunos carentes.  Sim, já naquela época havia crianças que só iam para a escola porque tinham na merenda e nos lanches a refeição do dia. Filhos de domésticas, porteiros, faxineiras, diaristas, alcoólatras, pais disfuncionais, a escola acolhia essa classe de crianças, muitas sem perspectivas futuras.  Mas a diretora era brava, uma verdadeira "sargentona" dos anos 50.


Daquelas turmas, pouquíssimos levaram os estudos adiante, muitos tragados pelas dificuldades da vida, pela falta de oportunidades.  Alguns se perderam nos vícios e na deliquência, perdendo, também, a vida.


Eu sou uma sobrevivente, pelo menos é assim que me sinto, porque não foi fácil.  Não me canso de repetir que Davi é um privilegiado.  Sim, com todas as nossas limitações financeiras, esse menino tem muito e mais do que seus pais tiveram na sua idade.  Não falo apenas de bens materiais ou de uma escola de boa qualidade: falo de família.  Eu tenho plena certeza de que Davi tem uma família que eu e seu pai gostaríamos de ter tido, pois com todos os defeitos, nos mantemos unidos, em amor, tentando dar a ele um equilíbrio emocional e afetivo que servirão para embasar sua auto-estima numa plataforma forte.


Dois dias antes da Formatura a turminha do Davi acampou na escola.  Nos dias que se antecederam, Davi estava muito inseguro, choramingando que não queria dormir fora de casa.  Fomos conversando e mostrando que seria muito bom ele passar por essa experiência de dividir a noite numa farra com seus coleguinhas de escola.  Quando retornamos à escola, à noite, e que ele viu as crianças, não deu outra, se despediu e se jogou.  E claro, eu não dormi direito.  Como nem a polícia, nem o bombeiro, nem qualquer pessoa da escola ligou durante a noite, concluí que haviam passado muito bem, mas fiquei um bagaço durante o dia seguinte inteiro.

A Cerimônia de Formatura foi a primeira ocasião em que eu chorei - e só de escrever dá vontade de chorar.  Não sei o motivo, mas fiquei muito emocionada.  Foi tudo muito simples, até porque a escola e a turma são pequenas.  Na verdade, foi um chororô enorme: todas as tias, pais, mães, parentes, enfim, acho que todo mundo chorou.  É um marco, uma passagem de tempo importante na vida de todo mundo.  Davi está nessa escola desde seus 5 meses e mês que vem completará 6 anos, ou seja, é praticamente a vida toda ali dentro.


Nosso desejo era colocá-lo numa escola maior, para que ele pudesse ir já se acostumando com tudo maior: escola, crianças, turma, enfim.  Mas as condições financeiras, somadas às incertezas dos dias atuais nos impediram neste momento.  Ficará para o próximo ano, quando ele for para o 2º Ano Escolar.

No mais, estou profundamente alegre e eternamente agradecida a Deus pela fidelidade Dele conosco, por nos dar livramentos e condições para criar o Davi.

No mais, que venha o 1º Ano!!!


* Poucas fotos porque filmamos mais que fotografamos.  E aí, as pilhas da câmera e a memória do celular acabaram!