Volto Já!



Não, não é meu espírito entrando em contato para dizer que vou reencarnar em breve, muito menos estou apertada para ir ao banheiro. Foi apenas uma pequena pausa por conta das festas de fim de ano e, além disso, esta é a semana de adaptação do Davi na creche.

Acho que não existe mãe mais boba, mais prosa, mais insuportável e metida do que eu, por conta desse "acontecimento". Não querendo ser piegas - mas eu vivo sendo piegas - certamente que essa é uma nova fase nas nossas vidas. Para muita gente é apenas mais uma coisinha boba, mas para mim é sempre uma novidade e uma vitória.

Davi teve conjuntivite na semana passada, logo após o Natal. E corre para que ele fique sarado o quanto antes, porque, senão, n-a-d-a de creche, né. E durante esse período em que ficamos quase uma semana juntos por conta da doença, percebi que ele ficou super grudado em mim e no pai e bastante manhoso (também, pudera, é um tal de ficar lambendo essa cria que é um absurdo....). Quando voltei ao trabalho, recebi reclamações de seu comportamento reprovável... Ou seja, chegou mesmo a hora de ir para a creche!

A impressão é a de que ele já vai começar o "ano letivo", pois  recebi uma listinha básica de alguns itens a serem comprados, como avental, toalha, sabonete, shampoo, o tal do "copinho glu-glu", enfim, coisas que deverão ficar na creche, lá no nicho que será destinado aos objetos dele.

É claro que dá um pequeno frio na barriga deixar seu filho nas mãos de "estranhos", principalmente quando a pediatra, após dar o Atestado Médico, fazer cara feia (ela não simpatiza muito com creches) e a avó achar que ele não irá se adaptar e sofrerá as torturas e maus tratos que de vez em quando são relatados na TV. Viagem na fumaça de orégano perde!

Sempre preguei a favor da creche, mesmo antes de cogitar ter filho(s).  Creche é fruto da família moderna, em que há somente 1 ou 2 filhos e que os pais trabalham fora. Porém, mesmo que eu fosse dona de casa, eu sempre simpatizei com a ideia.  Não vou ficar aqui dando loas às creches, pois imagino que haja defeitos também, que irei descobrir com o tempo.  Porém, eu sempre defendi que, caso eu tivesse uma criança, ela iria frequentar uma creche, pois eu penso que é um lugar onde ela será estimulada e terá o convívio com outras crianças, aprendendo a se socializar e a dividir tudo: tempo, espaço, atenção, brinquedos, enfim, a não crescer achando que o mundo gira ao redor do seu umbigo.

Creche é cara, afinal, não deixa de ser uma espécie de "babá coletiva", e eu creio que o valor se justifica porque cuidar de crianças, principalmente bebês, requer um tratamento e habilidade  um pouco mais específicos. Não que as demais crianças não necessitem de cuidados especiais, porém, muitos bebês ainda não falam nem andam (que é o caso do Davi, por exemplo), o que dificulta a comunicação e redobra a atenção pois, se não engatinham, terão que ficar bastante tempo no colo ou no mesmo lugar, e se engatinham, começam a mexer e a entrar em lugares impróprios. Resumo: cuidar dos filhos dos outros é uma baita responsabilidade e uma tremenda furada!

Encontrar uma creche "boa" (defina "boa") não é fácil e, como citei, muito menos barato. No ilustre, bucólico e charmoso bairro do Campinho dá para contar nos dedos a quantidade de creches, o inverso do que existe em termos de salão de beleza! Uma amiga minha, na época de procurar creche para seu filho, me disse que havia visitado em torno de 30! Eu visitei apenas 4, por pura falta de opção mesmo. Aliás, a visita é a primeira parte desse ritual de passagem, coisa extremamente recomendável. Importante também é a opinião de outras mães a respeito do estabelecimento que despertou seu interesse.

Davi terá uma nova rotina e creio que a adaptação será muito fácil, visto que ele se dá muito bem quando está com outras crianças e não é comum estranhar pessoas que não conhece, mas isso não significa que não haverá momentos de estranhamento, afinal, ele passou seu primeiro ano sob os cuidados absolutos da mãe e da avó. Uma das novidades, por exemplo, será o uso do tal "copinho glu-glu" no lugar das mamadeiras. Ou seja, acabou a  molezinha!

Agora, imagine quando chegarem as festinhas como Dia das Mães, Páscoa, etc, etc, etc? Aff.... ali, haverá choro e muita babação.  Nem eu vou me aguentar!


***************************************

Atualizações

10/01/2011


A primeira semana foi bem complicada e agitada. Na terça-feira, Davi saiu da creche em estado febril. Na quarta-feira, teve que voltar para casa porque a febre tinha aumentado.  Além disso, havia acordado com uma crise alérgica, cheio de placas vermelhas espalhadas pelo corpo.


Na quinta e sexta-feira, Davi não teve mais febre, e ficou normalmente na creche.  Porém, tivemos - e ainda estamos - problemas com transporte, pois não conseguimos ninguém para levá-lo ainda.

 ***************************************
12/01/2011


Soube ontem que Davi chorou muito quando chegou e quando saiu da creche.  Estou também com sérios problemas de transporte. Janeiro é mês em que a maioria das pessoas sai de férias e, consequentemente, quem faz transporte escolar também não trabalha.  A pessoa que está fazendo o transporte esta semana não poderá levar o Davi a próxima semana.   Talvez eu tenha que ir em casa para levá-lo para a creche, pois acho que se ele ficar em casa, esse tempo de adaptação será perdido.
***************************************
17/01/2011
Esta semana, Davi não irá à creche, pois a pessoa que está fazendo o transporte viajou!!! Já contratei outra pessoa, a "Tia Karla", muito simpática, parece gostar de crianças. Só que irá começar apenas em Fevereiro. Além disso, o carro dela tem ar condicionado e cadeirinha. Alguma novidade nisso? Sim, porque o carro atual não tem nem uma coisa, nem outra!!!
***************************************
24/01/2011
Até segunda-feira, Davi continuava chorando para ir e para entrar na creche.  Desde terça-feira, creio que ele se deu conta que essa será sua rotina, então, não tem mais chorado. Até tem me recepcionado melhor, se bem que na terça-feira, quando fui buscá-lo, ficou de mau comigo por um bom tempo. 


Enfim, acho que essa "adaptação" foi mais longa do que imaginei, mas está acabando... graças a Deus!

14h05 - Acabou de saber que a Verônica, que está no lugar da Daisy/Deise/Deisy/Deysy não foi buscar o Davi hoje!!!!!! Estou tentando ligar, mas ninguém atende!!!!!!!!!! No momento, a máxima chega a 36º, com sensação térmica de 40º no RJ, sem previsão de chuvas nos próximos 4 dias...