Bagunça, Caos e um pouco de Tinta

Eu tenho uma certa mania de arrumação e organização.  Aliás, eu até já procurei cursos sobre o assunto, mas aqui nessa terra maravilhosa, cheia de praia, carnaval e mulher pelada, esse tipo de curso não existe.

Não chego a ser uma neurótica com bagunça-arrumação, a ponto de catalogar os itens dos cômodos da casa. Não vejo necessidade de colocar a palavra "feijão" num pote de mantimento com.... feijão! Também não sou daquele tipo de pessoa que separa as roupas do armário por cores e tamanhos.  Na verdade, eu organizo de forma "democrática", sem rigor militar e, com o tempo, quando a bagunça começa a tomar forma,  me dá um surto de arrumação e lá vou eu de novo, colocando as coisas no seu lugar e me desfazendo daquilo que não é mais útil.

Até que um dia a gente coloca um filho no mundo.  E vem aquela coisinha gostosa de pegar e apertar e beijar e enche a nossa vida e a nossa casa de alegria, de gritinho e de choros.  E essa coisinha fofa e gostosa vai crescendo, e na medida que isso acontece, a decoração da casa vai mudando também.  No começo, afastamos as coisas que podem causar algum ferimento, tapamos as tomadas e colocamos os badulaques para o alto dos móveis - como eu comentei aqui.  E um dia nos damos conta de que aquela casinha arrumadinha virou de cabeça para baixo, porque para quem tem mania de arrumação, olhar para a estante e só encontrar brinquedos é ter a casa de cabeça para baixo.  Sentar no sofá, todo estrupiado e sempre com um brinquedo no meio das almofadas é o caos, sim.

E assim, aquela nossa vidinha arrumadinha dá lugar a um levanta-e-agacha, pega uma coisa aqui, colhe outra ali, isso na casa toda. Brinquedos, sandália, roupas, fraldas - sim, quando aquela criança fofinha aprende a tirar toda a roupa do corpo e resolve andar pelada em casa, ela vai jogando tudo em qualquer lugar.  Uma mamadeira embaixo da cama, um copo de suco virado no tapete, farelos espalhados pelo chão e no sofá.

Eu sei que essa fase vai passar, mas, ó, cansa, e quem está passando ou já passou sabe muito bem do que eu estou falando. O projeto de trocar de sofá terá que esperar, porque não adianta nada ter sofá novo, mesmo com uma capa, se a tal criança fofinha sobe e derrama leite ou suco ou comida. Passar uma tinta nova na parede também não vai surtir muito efeito, e os brinquedos na estante, mesmo que exista uma caixa só para eles, ainda serão encontrados por lá.  E por todos os lugares também.

Não, minha casa não virou um chiqueiro, até porque eu insisto na minha mania de arrumação - daí o cansaço. Mas quem está passando por esse momento, eu digo: tenha paciência, isso vai passar. Só não me pergunte quando, porque eu ainda estou no meio do vendaval. Quer mudar o carpete ou o tapete ou o sofá? Esqueça. Não vale a pena.  O vidro que estava limpinho e brilhante está com marcas de mãozinhas? Deixe prá lá.  O que não pode - eu acho, né - é deixar de limpar.  No mais, relaxe.

Cada um tem uma forma de desestressar: ler um livro, caminhar, ver um filme, cozinhar ou mesmo arrumar.  E por incrível que pareça, outro dia me deu um outro surto: o de artesanato.  Não que eu seja artesã, muito longe disso, mas consigo me distrair fazendo algumas coisinhas para enfeitar um pouco a minha casinha que o tal do Davi vive bagunçando. Claro que, no meu caso, o que poderia levar 1 dia é feito em várias prestações, porque assim que eu chego em casa o guri não desgruda, e geralmente tenho um pouquinho de folga nos fins de semana, porque o pai está por perto também.

E abrindo mais um espaço fashion nesse blog - sem fugir do objetivo principal do mesmo - vou estrear minhas  "artes", que são coisinhas que se pode fazer para enfeitar a casa.  Como eu já disse, não sou artesã, não sei desenhar, nem costurar com máquina.  Mas quem sabe você também acaba descobrindo que sabe fazer alguma coisa "cute", como se diz por aí: uma bijouteria, uma pintura, um crochê.  Alguma coisa para tirar um pouco a sua atenção da casa virada de cabeça para baixo - se você for como eu, claro, que insiste em arrumação.

Porque essa fase vai passar, mas colocar a casa no lugar vai demorar um pouco, tá?

Olha como ficou minha caixinha de xícaras para a cozinha?  Não tá "cute"? (Eu tô ficando tão internética...)


Ah, sim, a próxima cirurgia do Davi está marcada para mês que vem, talvez dia 14. Até lá, vou tentar fazer outras coisinhas "cute", porque senão eu piro na batatinha!