Fiocruz

As torres ainda estão sob reforma
Como muita gente sabe, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é uma instituição pública que promove a saúde e um dos seus principais objetivos é a pesquisa e formulação de vacinas.   Seu nome é uma homenagem ao bacteriologista Oswaldo Cruz, que foi um dos grandes incentivadores da vacinação pública no início do século passado, pois abraçou a causa da vacinação em massa, contrariando a população e até o Governo da época.  Enfim, foi um grande homem e cidadão brasileiro, que contribuiu para que o nosso país se destacasse mundialmente no quesito vacinação, como já abordei neste post.


O prédio da Fiocruz - na verdade, um castelo (mesmo!) - fica em frente à Avenida Brasil (também conhecida como avenida ziquizira) e se destaca pela sua arquitetura marroquina e pela bela iluminação à noite. Sua área é bastante arborizada e simplesmente enorme, apesar de ficar bem pertinho da Refinaria de Manguinhos, que se esforçam em preservar o meio ambiente e educar as pessoas no cuidado com as coisas boas que a natureza pode nos ofertar.   Nos dias de campanha de vacinação, a Fiocruz é um dos principais postos e organiza uma festa muito legal para a criançada.  E foi para lá que resolvemos ir no último sábado, um dia que eu posso resumir como "perfeito" (apesar de a minha máquina fotográfica tentar estragar a festa!).

Céu azul e temperatura maravilhosa, levamos Davi não somente para ser vacinado, mas também para curtir as atrações que lá aconteciam.  Eu já tinha vontade de ir em anos anteriores - e não me lembro por quê não fui - mas digo a quem mora no Rio de Janeiro: da próxima vez, VÁ!  Mesmo se a sua criança não tenha mais idade para ser vacinada, não perca essa oportunidade, não só porque é di grátis mas também porque há várias atividades que despertam a curiosidade e agregam informação, o que  nunca é demais. 

Vacina eu tiro de letra!
Assim que chegamos, Davi abriu um bocão, querendo colo e colo, como sempre, e aí nessas horas, como eu não tenho um tico de paciência, ele se resolveu com o pai.  Assim que se acalmou, fomos em direção ao local onde estavam aplicando a vacina, e nesse quesito ele sempre se comportou muito bem.  Assim que a criança é vacinada, recebe um kit de lanchinho, com maçã, suco, biscoito e batatinha frita.   E na medida que meu neguinho se soltava, começava a se interessar pelas atividades que eram oferecidas.


Teve "tatuagem"







Teve "Abraço Grátis", mas Davi não quis....


Davi viu de perto alguns insetos e reconheceu o bicho-pau, que também é personagem do filme "Vida de Insetos"







Teve Oficina de Desenho






Teve apresentação do grupo "Dançando para Não Dançar", que é formado por bailarinos e bailarinas de várias comunidades. A gravação ficou uma belabosta, porque além de ter sido em máquina fotográfica, eu ficava vigiando o Davi para ele não se esborrachar numa escadaria que fica em frente ao castelo e que serviu para a "platéia" se sentar.  Foi muito fofo ver aquelas meninas (e menino) dançando tão graciosamente...pelo menos estão fazendo uma coisa saudável, ao invés daquela nojeira chamada funk!

Teve fotos com o Ratão e com a D. Barata.  Ok, na festa, pode!



(Acho que a Dona Barata era Seu Barato...)


 Teve orientação de escovação dental (acho que é esse o nome...)



E, claro, teve foto oficial com o Zé Gotinha...



E ao vivo e em definitivo também!




Teve bola, bala, balão, pipoca, picolé...




E uma criança que se acabou de tanto curtir!



Missão cumprida! Criança vacinada e cansada de tanto brincar.  Nem preciso dizer que na próxima edição estaremos lá, né.  E, mais uma vez, quem tiver a oportunidade, vá e aproveite, porque é muito bom.