Continuando...

Parece que Davi terá que continuar a ter que fazer dilatações, já que o canal da uretra continua muito apertado e o xixi sai muito fino.

Ainda se recuperando da pneumonia, na sexta-feira passada Davi foi diagnosticado com sinusite - porque apesar do meu amor venerado pelo outono, ele é cruel principalmente com as crianças.  Além do corticóide e do antibiótico, tivemos que ministrar um histamínico.  Ligamos para o Dr. Martinelli, que pediu para suspender os medicamentos na terça-feira, já que se havia passado tempo mais que suficiente para a retirada dos pontos.

Não vou dizer que voltamos ao marco zero mas parece que voltaremos à rotina de dilatações, outro sinônimo para anestesias e centros cirúrgicos.

É só vivendo dentro dessa situação para a gente aprender a não criar muitas expectativas, porque - como eu já falei diversas vezes aqui - o processo de hipospadia é longo, cansativo e um pouco frustrante, cheio de altos e baixos.  Claro que há outros tratamentos médicos que duram muitos anos, dificílimos e dolorosos, muito mais do que este.  Mas este também tem seu nível de estresse, de desgaste, porque quando a gente pensa que é a última-alguma-coisa, não é bem assim, porque depois dessa última tem outra última sei lá o que, que é seguida de alguma outra última.

E quando uma enfermeira viu Davi passando e falou: nossa, como ele está crescendo, eu me dei conta de que parece que já somos parte dos quadros da Prontobaby, porque... oi?


Momento Neuras & Confissões: Davi está há 2 semanas dentro de casa, o que significa manha no grau 1000.  Eu ando muito, muito & muito cansada, porque saio cada vez mais cedo de casa e volto cada vez mais tarde.  Por causa disso, diminui o tempo que dispenso com ele, brincando, lendo, fazendo alguma coisa.  Como ele está afastado da creche, na minha cabecinha ele está começado a ficar defasado no aprendizado.  Eu tento fazer alguma coisa, como contar até 10 e repetir o a,e,i,o,u.  Ele repete, sabe algumas cores também, mas me-sinto-culpada por não me dedicar mais, porque sempre acho que algumas outras crianças na idade dele sabem fazer muito mais coisas, como montar um quebra-cabeças, por exemplo.  Não sei se uma criança de 2 anos e meio que sabe montar um quebra cabeças é normal ou está acima da média, mas se for normal, então Davi está abaixo da média. Ai...

O que Davi tem são brinquedos de encaixe, mas nunca o vi brincar seriamente concentrado em encaixar as pecinhas.  Geralmente ele "distribui" as peças pela casa toda e o brinquedo acaba ficando incompleto e nunca é usado com o fim para o qual foi feito.  A professora da creche me disse que ele faz direitinho - encaixa os brinquedos - mas, em casa, além da bagunça padrão, o que ele mais faz é muita birra, muita manha e um pouco de malcriação também, e aí tem horas que eu tenho vontade de esganá-lo (ah, vai, quem nunca?).

Ah, sim, continuo implicando com a altura dele, mesmo constatando que algumas roupas - principalmente calças compridas - já estão "pescando".  A pediatra havia pedido, há algum tempo, um exame de idade óssea, mas cadê coragem para fazer?  Sim, fiquei com medo de fazer o exame e que o resultado não estivesse dentro da normalidade, porque aí eu iria pirar na batatinha.


Há algum tempo encontrei essas gavetas no lixo da esquina de casa e como eu fui picada pelo mosquitinho da craftice, peguei as três e levei para casa.  O marido - aquele santo - já lixou  e estou fazendo um negócio bem legalzinho que assim que ficar pronto vou postar, porque aquela varanda está super-ultra-hiper-mega abandonada e sem graça e está precisando levar um banho de loja cor e ânimo.  Quer dizer, ânimo na varanda e em mim também pois, como eu já falei, essa tem sido a maneira que eu encontrei para desanuviar minha cabecinha quente e cheia de preocupações e neuras.




Sábado passado aconteceu a festinha do Dia das Mães da creche.  Ano passado não teve e esse ano não pudemos ir, porque Davi ainda estava bem caidinho, então, terei que esperar que em 2013 - se o mundo não acabar - eu vá ver meu filho fazendo alguma coisinha para eu chorar.