Fátima


Ela não é a Santa, até porque não fez nenhum milagre, mas me conquistou desde o primeiro dia em que a conheci.  Drª Maria de Fátima, que já foi citada neste post  é a cardiologista que cuida do  Davi.


Entra as tantas surpresas que tive no nascimento do Davi, uma delas era a de que ele havia nascido com C.I.V. - Comunicação Interventricular.  E assim como a hipospadia e a hérnia inguinal, eu não sabia do que se tratava esse "defeitinho" congênito, mas já no 8º mês de gravidez, quando fui fazer um exame para ver como estava o seu coração, o médico indicou que havia algum probleminha e que assim que Davi nascesse procurássemos um cardiologista. 

Na primeira consulta à cardiopediatra, com apenas 1 mês, Davi foi atendido por uma médica muito competente e carinhosa, na Baby Cor de Copacabana.  Como eu ainda estava de licença maternidade, ir à Copacabana não dava tanto trabalho, era até um passeio.  Mas quando Davi começou a ser atendido pela Drª Andréia - a pediatra - ela indicou a Drª Fátima da Baby Cor da Barra da Tijuca.

Parênteses: A pediatra do Davi é assim: se tem que ir para algum especialista ou fazer algum exame, ela indica quem e onde fazer, e aí, já que todos conhecem todos, fica até mais fácil de relacionar os problemas da criança.  Assim foi com a Drª Viviane Lanzeloti (oftalmo), assim também com o Dr. Martinelli (o cirurgião) e assim com outros médicos que fizeram exames diversos no Davi.  


Pois bem, com 2 meses de idade, levei Davi para ser examinado pela Drª Fátima.  Assim que o exame terminou, ela - que também é professora de cardiopediatria - pegou um coração de brinquedo, próprio para aulas, e começou a me explicar o que Davi tinha no coração.  "Tá vendo essa parte? Ele tem esse buraquinho, onde o sangue venoso passa e se mistura com o sangue já oxigenado".  E lá foi ela, me dando aula de cardiopediatria, explicando com todos os detalhes possíveis o que se passava, como seria o acompanhamento, se haveria necessidade de alguma intervenção cirúrgica ou não.

Pronto. Gamei na hora!

Porque ali, naquele momento, ela iria tratar do coração do Davi e do meu também, pois diante de tantas notícias novas e até  assustadoras, ela foi capaz de me acalmar, de passar segurança, tranquilidade e informações claras e concretas.  Além disso, Drª Fátima fez uma "tabelinha" com a Drª Andréia, indicando o Davi para ser tratado com a vacina chamada "palivizumabe", que é para o combate da bronquiolite e, como eu falei aqui, é muito, mas muito cara (em torno de uns R$ 5.000,00 cada dose, e são 5 doses!!!), e é liberada pela Secretaria de Saúde do Estado.

A partir de então, Davi foi sendo examinado todos os meses, até completar 1 ano de vida.  Depois desse período, o intervalo passou para a cada 4 meses e depois para cada 6 meses.  E depois para 1 ano.  E na última consulta, não pude ir mas aproveitei para mandar para ela uma caixinha de bombons, como forma de gratidão.  Não que ela tenha feito alguma coisa mágica para que a C.I.V. do Davi regredisse, pois eu sei que ela não tem poderes sobrenaturais para isso.  Mas sabe quando você tem uma admiração enorme por alguém?  É assim comigo para com ela.

De acordo com a última avaliação, a C.I.V. do Davi está quase, quase, quase fechando, e a próxima consulta será no ano que vem, depois de 1 ano de intervalo. 


Eu havia esquecido de pedir a ela permissão de postar suas fotos aqui, mas foi fazê-lo como forma de homenagem e agradecimento, e caso ela não queira, depois eu tiro.


A gente sabe que a relação que temos com médicos tem que ser de estrita confiança, seriedade e também de amor, afinal, principalmente se eles cuidam do nosso bem mais precioso, que são os nossos filhos.  E por ter sido agraciada com tantos profissionais de primeira linha, eu não tenho absolutamente nada do que reclamar, apesar das lutas, dos altos e baixo que já passamos e que ainda temos que passar.  O que eu quero é acreditar que, ao final, o que vão ficar serão as experiências e as histórias, para serem contadas e, quem sabe, se tornarem uma forma de acalanto, de consolo para quem passa por esses contratempos também.



E assim como já disse nesse post, tenho algumas mulheres sensacionais na minha vida, e a Drª Fátima é uma delas.  



Obs.: Davi, além de fazer péssimas poses para fotos, acha que tudo é para ele (e geralmente é, claro).  Não quis muito entregar os bombons e praticamente obrigou a Drª Fátima a abrir a caixa e começou a comê-los.

Que deselegante!