Craftices: Quadros com Tecidos

Acabei não tirando as fotos do ANTES desses quadros, que foram achados no LIXO pelo maridão.  São aqueles típicos quadros de empresa, feitos de VIDRO e ALUMÍNIO.  Por que destaquei as palavras?  Porque um quadro desses não é barato, não é mesmo.  Mas eu entendo, porque eu tenho vontade de me falecer quando eu lembro das coisas que desfiz e que hoje poderiam ser mais aproveitadas, que eu poderia dar uma cara nova e tal.

Mas... enfim, ainda bem que a vida nos brinda com novas oportunidades....

Então que uma das minhas paredes estava nua e crua e apesar desses quadros já estarem há um tempão em casa eu não sabia o que fazer com eles.  O que eu sabia era que eles poderiam se transformar em alguma coisa legal e que eu não poderia deixar essa oportunidade passar.  Tentei fazer um porta-retratos mas ficou muito ruim. 

E eis que um dia a ideia aflorou de dentro da minha cabecinha - às vezes é assim, do nada vem alguma coisa legal dessa cabeça tão cheia de coisas para pensar e resolver.

Munida de uma lata de spray preto, pintei as molduras de alumínio, porque eram da cor de alumínio mesmo e ficavam parecendo coisa de escritório mesmo.  Diferente das molduras comuns, esses quadros têm molduras de encaixe.


Comprei um papel preto dupla-face, bem grossinho, e cortei em molduras de 5cm de cada lado.


 Escolhi um tecido com uma estampa bem florida e com um pouco de cor, já que a parede é "quase" branca,  e colei atrás das molduras de papel.  Colei com cola quente.




Montei as molduras e o vidro e fechei com as porquinhas. E aí ficaram assim.




Eu sei que não foi a ideia mais criativa da face da terra, pelo contrário, fiquei pensando: "como é que eu não tive essa ideia antes?"  Mas é que às vezes parece que a mente congela e coisas simples como essa não são produzidas.  Fazê-los foi muito mais rápido do que idealizá-los. 

Na verdade esses quadros ficarão nessa parede provisoriamente, porque já tenho uma outra ideia para preenchê-la, mas por enquanto eles ficam dando um pouco de vida a esse espaço que estava vazio.