Num Piscar de Olhos

O mundo das corridas de automóveis, principalmente a Fórmula 1, gira em torno dos segundos e suas divisões. Assim também, o "homem mais rápido do mundo" é definido por quebrar recordes de décimos ou milésimos de segundos. A velocidade da luz - talvez a maior - é de 299.792.458m/s. Já a velocidade do som é de 340,29 m/s. A velocidade do pensamento, .... bem,  aí vai depender, porque tem horas que o pensamento fica igual a computador: se estiver muito carregado, tudo fica muito lento e o sistema congela.  Aí, só dando um "reiniciar" (o antigo boot) para clarear as ideias. 

Em se tratando de crianças e os acidentes que as cercam, a velocidade com que  estes acontecem é a de um piscar de olhos que, dizem, ser de 2 segundos. Às vezes, parece que é bem menos do que isso.

Há alguns dias, uma criança de seus 4 anos caiu da janela sem proteção do prédio onde morava. Imagino que deva ter sido uma questão de piscar de olhos, não por conta da velocidade da queda em si, mas os passos que a levaram até à janela.  Em outra ocasião, bombeiros foram acionados para tirar um bebê que estava sentado nas grades da janela, no 2º andar do prédio onde morava.  Num outro caso, a mãe levou a filha de 5 anos para o apartamento e desceu para continuar na festa. Alguns minutos depois, a menina havia alcançado a janela da área de serviço, cuja rede de proteção estava cortada (ou rasgada), caiu e morreu. Em todas essas situações, os responsáveis haviam deixado a criança sozinha e, num piscar de olhos, tudo aconteceu.

Outro caso muito comum ultimamente é o de crianças que ficam dentro do carro enquanto o/a responsável vai resolver alguma coisa... "rapidinho" como, por exemplo, trocar uma peça de roupa numa loja dentro de um shopping center.  Outras crianças são "esquecidas" dentro dos automóveis e, lamentavelmente, muitas não conseguem sobreviver.  E tudo é apenas uma questão de segundos, na velocidade de um piscar de olhos. Acidentes de carro também são muito comuns quando a justificativa para não usar a cadeirinha ou o cinto de segurança é "ir ali rapidinho", afinal, é tão perto de casa... 

É num piscar de olhos que se perde a criança numa praia cheia, ou até mesmo dentro de uma loja ou supermercado. 

É num piscar de olhos que a criança entra na cozinha e alcança a gaveta de facas, ou o cabo da panela  que ficou virado para fora, em cima do fogão.

É num piscar de olhos que a criança alcança o fogão, cujo forno está ligado.

É num piscar de olhos que a criança cai do sofá ou da cama sem grade de proteção.

É num piscar de olhos que a criança coloca o dedo na tomada e leva um choque.

É num piscar de olhos que a criança engole uma agulha, um pedaço de vidro, uma tampa de garrafa que ficou jogada em algum canto da casa.

É num piscar de olhos que a criança abre o armário que guarda remédios ou material de limpeza. E num piscar de olhos, ela abre os frascos e ingere seu conteúdo.

É num piscar de olhos que a criança puxa a ponta da toalha da mesa, ou um fio que está pendurado, e tudo cai em cima dela.

É num piscar de olhos que a criança entra no banheiro ou no quarto e consegue trancar a porta.

É num piscar de olhos que a criança encontra um barbante, um fio de nylon ou um cadarço e enrosca no pescoço.

É num piscar de olhos que a criança cai dentro de uma piscina e se afoga, pois está sem colete ou protetores infláveis nos braços.

É tudo muito rápido e talvez a ausência de explicações para alguns acidentes se deva a essa rapidez, a essa velocidade com que eles acontecem.

Certamente que muitas dessas coisas acontecem não por falta de atenção ou cuidado dos pais. Não dá para colocar uma coleira na criança e prendê-la no pé da mesa, ou mesmo sair na rua com ela dessa forma,  pelo menos eu não concordo com esse tipo de... controle. Por outro lado, porém, como explicar que uma criança seja esquecida dentro do carro ou na escola, ou até numa festa? Eu realmente não entendo, e, claro, também não estou dizendo que estou isenta de cometer um deslize desses. Porém, alguns casos se tornam absurdos quando simplesmente não conseguimos uma explicação no mínimo razoável.

Pois é, parece que por um bom tempo não vai dar nem piscar direito, porque essas coisas acontecem com uma velocidade praticamente incalculável, muito maior até do que a da luz. Mas que dá para evitar alguns absurdos, acho que dá!