Craftices - MMA Ultimate Fight com Prateleiras

Como havia comentado aqui, meu feriado de carnaval foi um agito só, porque o mosquitinho da craftice me picou e agora eu ando super atacada, tudo "culpa" da Núbia Mara!  Descobri - óóóhhh - que às vezes não é necessário muito dinheiro para a gente dar uma levantada na nossa casa, e muita coisa pode ser reaproveitada ou feita com material simples e barato.

Depois que fiz essa caixinha, resolvi também fazer uma prateleira/estante/armário para as canecas. Achando que seria molezinha, acabei tomando uma coça e me quebrei toda.  O samba do crioulo doido foi assim:

Comprei 6 prateleiras dessas daí, que me custaram a fortuna de R$ 2,99 cada uma.  Apesar de ser um pouco pesada, essa prateleira é de uma madeira bem macia - acho que é pinho ou pinus. Usei 5 dessas e deixei 1 para o caso de algum acidente de percurso.


Tem troco para R$ 3,00?

Para as laterais, comprei também mais 2 prateleiras, maiores, que me custaram exorbitantes R$ 9,99 cada uma.

E para R$ 10,00?
Aí eu acho que o angú começou a encaroçar a partir desse ponto.  Para tentar adiantar o serviço, pintei e já envernizei as prateleiras.


Depois que fiz umas trocentas marcações, porque não queria que as prateleiras tivessem a mesma altura, chamei o marido para furar as prateleiras laterais (mesmo sabendo usar a furadeira.  Sabe qual o nome disso? Exploração!). E ao invés de furar as duas juntas, furamos separadas.  E aí deu diferença, né.

Veja que o tanque também serve como apoio/ateliê/oficina

No Octógono: Prateleiras x Marceneiros de Araque

E agora para montar? O que deveria ter sido uma operação simples quase se transformou  numa luta de dar inveja ao Anderson Silva.  Mesmo sabendo que não-era-o-certo e como não conseguíamos fixá-la, ao invés de colarmos e usar parafusos colocamos pregos. P-r-e-g-o-s!!!!! Tá bom para você?

Socão direto na fuça nº 1: A prateleira começou a rebolar para todos os lados, sem falar que Davi ficava mosquitando ao redor, tentando sentar em cima dela e querendo pegar martelo, prego, tinta e tudo o que estivesse no meio do caminho. Resultado?  Prateleiras 10 x Marceneiros de Araque 0. Resolvemos, então, parar por ali e esperar o feriadão para fazer com mais calma e menos mosquitação de criança.
Vêm se meter a besta comigo, vem?

E durante o carnaval tomamos muita... vergonha na cara e recomeçamos quase do zero, porque tivemos que desmontar, remarcar, refurar e, enfim, parafusar a dita cuja ("parafusamos" uma pinóia, porque quem fez o trabalho pesado foi o marido, pois mesmo sendo macia, as prateleiras são um pouco durinhas e tem que colocar um pouco de muita força para apertar os parafusos, e isso deixa as mãos cheias de calos horrorosos!).  Toda essa pancadaria deixou a bichinha cheia de hematomas e buracos, o que fez com que eu tivesse, também, que repintá-la.

Violência gera violência...

Socão direto na fuça nº 2: Já montada, tive que passar massa para madeira, para cobrir a buraqueira que ficou,  e lixar de novo.  De certa forma, até que nem tudo foi tão trágico porque a ideia era fazer a parte interna e externa de amarelo, uma faixa lateral de vermelho, além das laterais das prateleiras que ficaram azuis com bolinhas brancas, para combinarem com a caixa de xicrinhas, mas aí iria ficar muito carnavalesco.  Optei, então, por pintá-la com a mesma cor que a da outra caixa, mas aí a tinta não foi suficiente e eu tive que misturar com outra que eu já tinha e que também estava pela metade (o verniz também  tinha acabado, tive que passar um outro que secava mais devagar). No final, ela ficou com vários defeitinhos de pintura, mas como eu já estava cansada e de saco cheio, deixei do jeito que ficou e, quem sabe, um dia eu pinto com mais amor no coração.



Enfim, depois de toda a (re)trabalheira, a dita cuja foi colocada na parede, ao lado daquela caixinha das xícaras.  E aí eu me dei conta de que tenho pouquíssimas canecas, simplesmente porque não tinha onde colocá-las. Sempre que ia a lojas de departamento me dava vontade de comprar, mas aí desistia por causa disso e porque não iria ficar acumulando caneca pelos cantos.  Mas agora que tem esse armário aí vou enchê-la com canequinhas bonitinhas, mesmo que não haja necessidade para tantas(mas a gente precisa-ter-necessidade para comprar???).

Quantas canecas?

Minha cozinha é comprida, mas não é muito larga, por isso que eu estou tentando explorar as paredes ao máximo.  Para tirar essa foto, por exemplo, eu tive que tirar a geladeira do lugar para poder ter uma visão mais ou menos geral da prateleira! Viu que a foto está meio torta?

Ó, vou te contar: houve horas em que deu vontade de jogar tudo pela janela, mas aí eu correria o risco de matar alguém no play, porque se meter a marceneiro sem ser foi uma bela lição.  O negócio nem era tão difícil, e às vezes é aí que a gente se quebra, porque o que é fácil pode se tornar um tormento.  E outra: fazer craftices com Davi rodeando, pedindo colo, colocando aquelas mãozinhas nervosas  em tudo e querendo sentar em cima das coisas foi um teste de paciência para ser monge beneditino (se bem que eu acho que sem ele por perto tudo isso não teria muita graça, sabe).

Enfim, o "porta canecas" até que ficou bonitinho, mas eu ainda tenho que me acostumar com ele na parede, porque além de ser maior, as laterais são mais largas e "comeram" um espaço que estava vazio por muito tempo.

Enquanto isso, Davi vai fazendo suas dilatações mensais e é bem provável que seja operado na próxima semana.  Mesmo queimando a cabeça, essas coisas me fazem bem, porque eu me sinto útil e deixo a casa mais bonitinha e me desestresso dessa trajetória longa, que já dura 2 anos.

Até mais! Para o alto e AVANTE!!!!!